26.6.12

a minha mãe ofereceu-me há tempos um saquinho com uns frutos secos avermelhados, que comprou em Óbidos e cujo nome não decorou, sabendo apenas que eram muito ricos em ómega 3. parecem umas passas de uva em vermelho, com um sabor adocicado, mas nada enjoativo. bastante agradável, até, pelo que passámos a comer umas quantas bagas todos os dias ao pequeno-almoço. descobri hoje, por acaso, o seu nome. a saber: goji.


goji, ou wolfberry, é o fruto das plantas Lycium barbarum e L. chinense, que muitos afirmam serem provenientes da região dos Himalaias, no Tibete, embora a wikipedia contrarie.
polémicas à parte, parece que estas bagas estão-se a popularizar pelo seu grande valor nutritivo e propriedades antioxidantes. assim, e mesmo sem saber, temos estado a antioxidar com fartura. descobri, ainda, várias páginas que tratam sobre a divulgação e o cultivo e a distribuição das bagas, em Portugal. quando acabarem, e assim que puder sair do descanso forçado em que me encontro, vou averiguar onde se podem comprar, aqui em Lisboa.




e não poderia falar de pequeno-almoço sem referir a nossa mais recente e saborosa descoberta: a granola de mirtilos doSEMENTE.


nunca fui muito fã de granola, ao contrário do Gonçalo. para mim o pequeno-almoço (durante a semana, entenda-se) sempre foi sinónimo de torradas com manteiga e leite com café. quanto muito um sumo natural a acompanhar. não que não goste de variadade matutina, mas por falta de tempo e imaginação ao acordar. mudei de rotina depois de experimentar esta granola.
em primeiro lugar, é tão, mas tão boa que podemos comer um punhado, sem outro acompanhamento, apenas como snack. a utilização de componentes naturais, sem aditivos, e a harmonia da mistura fazem com que seja mesmo saborosa. em segundo lugar, porque é um gosto consumir um produto que tem impressa a dedicação com que foi feito. e por último porque cada vez mais, e sempre que me é possível, prefiro comprar diretamente ao produtor. saber que o caminho entre a relização e o consumo é tão curto que posso agradecer a quem o concebeu, dar-lhe sugestões e simplesmente saber a quem estou a pagar. por isso, aqui fica: obrigada Patrícia, pelo sabor, pela ideia e por teres posto as mãos à obra! ficamos à espera dos novos sabores.

1 comentário:

  1. Que palavras motivadoras. Muito obrigada, Raquel.
    Já partilhei o link no facebook doSEMENTE.

    (E ainda devo uma resposta ao email que o Gonçalo enviou.)

    ResponderEliminar